Estagiário do Semanário Económico vence prémio de melhor estudante

A frequentar o quarto ano do curso de Ciências Sociais na faculdade de Ciências Sociais afecta à Universidade Agostinho Neto, UAN, o vencedor do prémio “Estudante Exemplo”, Manuel Camalata, considera que o ensino em Angola demonstra uma certa fragilidade, argumentando que “há professores de se lhes tirar o chapéu e professores que ainda precisam de ser lapidados”.

Manuel Camalata sublinhou que as suas digressões feitas por outros países, através de investigação, permitiram-lhe apurar que professores que leccionam uma determinada disciplina têm a obrigação de trabalhar nas respectivas áreas, sendo que, quem leciona a cadeira de jornalismo deve ser jornalista. “Quando isto não acontece acaba tendo dificuldades deixando um vazio no que toca à sua responsabilidade”, fez saber.

Em relação à distinção, Manuel Camalata aponta o factor vocação, objectividade no que se pretende ser e no interesse em transformar a sociedade com os requisitos que de alguma forma permitem ser um estudante exemplar. Apesar de reconhecer as dificuldades que emergem ao longo do processo de ensino, como por exemplo, a falta de luz e água, alimentação, transporte, o também estagiário do SE aponta a dedicação ao estudo, o gosto pela leitura e ter uma área de formação que sirva de trampolim para a auto disciplina, como caminhos para se ser um excelente estudante. “Deve-se estipular horário de estudo, participar nos grupos de estudos e fazer parte da comunidade acadêmica da instituição de forma activa”, recomendou.

Monografia é a meta

O prémio “Estudante Exemplar” é atribuído aos estudantes cuja trajetória acadêmica é sacrificada. Segundo Manuel Camalata, a equipa organizadora faz uma peritagem do histórico acadêmico do estudante e inclusive da sua vida social. Após a candidatura dos estudantes, a equipa organizadora faz uma avaliação das mesmas para encontrar um finalista. Manuel Camalata disse que, apesar de antes acreditar na possibilidade de vencer, em algum momento foi perdendo a esperança, pois no dia da gala, 05 de Novembro, sentou-se junto de uma colega cuja história o comoveu. “Contou-me a sua história que a achei mais sacrificada que a minha.

Ela vive em Viana, num bairro que dista a quatro quilómetros da estrada principal e estuda à noite na Faculdade de Ciências Sociais da UAN, na marginal. Não tem pai, vive com a mãe e conta que por quatro vezes escapou de abusos sexuais”, disse. Por essa razão, Camalata viu na colega potencialidade para vencer, pois além das dificuldades por que passa tem propinas em atraso. Após a tomada da notícia sobre o prémio “Estudante Exemplo” Manuel Camalata tem agora dois focos: terminar a monografia e defende-la em Fevereiro de 2016 e situar-se profissionalmente para ajudar os seus irmãos a optarem por um bom rumo na vida. Manuel Camalata disse que o prémio trouxe-lhe uma mudança negativa porque, segundo avançou não está acostumado nem preparado para ser visto como referência.

“A partir do momento que recebi o prémio, quase que as atenções viraram para mim. As pessoas interpelam-me na rua e isto me incomoda porque sempre gostei passar despercebido ao lado das pessoas”, desabafou. Disse que o facto de ser o representante da primeira Universidade pública de Angola duplicam as suas responsabilidades no que toca à dedicação nos estudos, à imagem a transmitir para os terceiros e para a sociedade em geral. O chefe de Departamento do Curso de Comunicação Social da faculdade de Ciências Sociais, Supriano Bembe disse que Manuel Camalata é um excelente estudante.“Devo garantir-vos que é um dos melhores estudantes da Universidade Agostinho Neto. É muito dedicado”, reconheceu o responsável. Supriano Bembe disse que anualmente, existem estudantes pertencentes ao seu departamento que são contemplados com prémios, o que demonstra uma retribuição dos trabalhos que têm feito. “Estamos honrados. O departamento reconhece a qualidade de certos estudantes e o Camalata, ao longo dos anos que passou aqui tem demonstrado isso”, rematou.

Estagiário do Semanário Económico vence prémio de melhor estudante

| EMPREGO & CARREIRA |
About The Author
-