Investigação: Reativado Instituto de Investigação Veterinária no Huambo

Começou a funcionar no princípio do mês, na província do Huambo, o primeiro Instituto de Investigação Veterinária (IIV). A entrada em funcionamento desta instituição de investigação vai permitir a realização de testes e fazer a multiplicação de animais de raças exóticas de bovinos.

Com potencialidades para a pastorícia, a província do Huambo tem um novo centro de investigação científica que vai tratar dos animais. Localizado no centro do país, o centro está aberto para fazer análises de vários casos, chamando a si a realização de testes que antes eram feitos fora das fronteiras nacionais. Segundo a Directora do Instituto de Investigação Veterinária do Huambo, Cleonice Costa o IIV vai cooperar com as instituições de Ensino Superiores a nível nacional, avançando que actualmente o instituto tem como parceiro a Faculdade de Medicina Veterinária (FMV) no Huambo, na elaboração de projectos científicos. “O projecto de relançamento do IIV é importante na medida que repõe a capacidade de pesquisa e prestação de serviço da Instituição, sobretudo depois da reabilitação e apetrechamento de infra-estruturas de pesquisa e com a formação de quadros”, sublinhou.

Fez saber que o Instituto de Investigação Veterinária assume atribuições importantes para o desenvolvimento do sector em Angola, acrescentando que o mesmo tem como principais objectivos participar na elaboração e definição da política de investigação veterinária do país, executar e coordenar as actividades ligadas à ciência e tecnologia no domínio da pecuária, produzir e melhorar a tecnologia de produção dos imunogénicos já conhecidos e introduzir novos tipos, de acordo com a importância económica e social das doenças transmissíveis e transfronteiriças. Cleonice Costa informou que o instituto vai também efectuar estudos zootécnicos e promover o fomento pecuário, através de melhoramento genético e nutricional das espécies pecuárias, na base de máxima rentabilização dos recursos naturais, realizar estudos tecnológicos com vista ao melhoramento de qualidade, conservação, salubridade e padronização dos produtos de origem animal. “De acordo com as nossas atribuições, estamos abertos para cooperar com as instituições de ensino superior, de investigação e outras instituições científicas nacionais e internacionais, implementando projectos de pesquisas veterinária”, disse, acrescentando que a cooperação estende-se a investigação e desenvolvimento tecnológico públicos e privados, no âmbito das ciências zootécnicas e veterinárias.

Cleonice Costa avançou ao SE que é pretensão da instituição que dirige divulgar os estudos no campo da sua actividade, editando publicações de interesse para as ciências médico-veterinárias e zootécnicas, realizar estudos de patologia animal, dando prioridade aos trabalhos de análise e diagnóstico, com vista a estabelecer a profilaxia e terapêutica mais adequada. Sobre a capacidade de resposta do Instituto, a directora disse ser o suficiente para responder aos vários pedidos das instituições que solicitarem a realização de estudos na área em que estejam a desenvolver trabalhos. O instituto conta com sete laboratórios de análises clínicas em funcionamento (1 Central e 6 Regionais) e 1 de produção da vacina contra a doença de Newcastle.

“Temos capacidade para a realizar estudos zootécnicos e multiplicação de animais de raças exóticas de bovinos, pequenos ruminantes e suínos em 5 Estações de pesquisa (Estações Zootécnicas) em 8 províncias do país”, revelou. Segundo disse a directora, o centro está a realizar actualmente a multiplicação de sementes e de mudas de plantas forrageiras em três Estações Zootécnicas, nomeadamente, nas províncias da Huíla e do Namibe. Quanto aos técnicos, a directora fez saber que o instituto conta com 47 técnicos Superiores, dos quais 38 são veterinários e mais 76 técnicos médios, todos de nacionalidade angolana.

Os parceiros, pois claro

Já o Director de Desenvolvimento de Novos Projectos da Agricultiva, Barak Gover, disse que o projecto foi concretizado em 20 meses, sublinhando tratar-se do primeiro de um total de nove que vão surgir pelo país, na área de pesquisa veterinária e de pesquisa agronómica. Sem avançar datas para abertura dos outros centros, o director informou que o projecto de Estações de Pesquisa é multidisciplinar e envolve várias províncias, a combinar uma fase de construção e de recuperação dos sistemas de pesquisa existentes no país com uma fase de operação, segundo as recomendações e o plano de trabalho dos melhores consultores do campo da veterinária e da agronomia de Israel. Disse ainda que neste projecto a empresa Agricultava incorpora outros consultores do campo da botânica, silvicultura, criação de animais e assessores na área da construção, tais como engenheiros, arquitectos e uma ampla gama de pessoal na fase de planeamento, implementação e operação do projecto.

 

 

Mais informação encontre no jornal imprenso já nas bancas!

Investigação: Reativado Instituto de Investigação Veterinária no Huambo

| EMPREGO & CARREIRA |
About The Author
-