Ministério da Construção assina contratos avaliados em mais de USD 9 milhões

O Ministério da Construção aprovou, esta Sunda-feira, dois novos contratos de investimentos avaliados em mais de USD 9 milhões e celebrados com as empresas de construção civil CIVEP e GRANER.

Trata-se de dois investimentos no ramo da construção civil ligados às empresas Griner Engenharia e Civep Angola. A Griner é uma empresa de direito angolano, que vai efectuar um investimento no montante de USD 9.180.000,00, enquanto a Civep Angola, igualmente angolana, vai investir USD 500.000,00. Os contratos foram assinados esta segunda – feira pelo director da Unidade Técnica de investimento (UTAIP) Carlos Rodriguês e pelos responsáveis da Griner Carlos Lisboa e o responsável Civep Fernando Cardoso.

O director da Griner Engenharia S.A, Carlos Lisboa, disse durante o encontro que, numa primeira fase, a empresa vai dotar o sector da construção com uma central de betão e betuminosos, e também irá construir uma fábrica de montagem de caixilharia de alumínios e de carpintaria.

O responsável afirmou que a central de betão servirá para apoiar o sector da construção civil na edificação de infraestruturas e a central de betuminosos irá ajudar a construção de estradas no país. Referiu em seguida que o projecto de investimento foi feito tendo em conta as necessidades do mercado e que será concluído no prazo de três anos. Irá contar com uma capacidade de produção de 9 toneladas de betão por hora.

As fábricas, a serem construídas na zona económica especial, empregarão 200 pessoas. “O investimento já está a ser iniciado na zona económica especial de Luanda e, dentro de três anos, a obra estará concluída” afirmou. Realçou também que, numa primeira fase, há material e equipamentos suficientes para começar mas, tendo em consideração a situação actual, conta com o apoio da banca para resolução da importação do material nos próximos meses. Presente em Angola desde 2002, e tendo adaptado a denominação de GRINER em 2010, a empresa conta actualmente com 900 trabalhadores. Por seu turno, o administrador da CIVEP, Fernando Cardoso, ga-rantiu que a empresa reúne uma grande experiência na área e que o projecto abrange todas as dimensões, desde a construção civil à saúde e indústria.

O responsável disse que o objectivo é instalar uma unidade para a prestação de serviços técnicos de construção em geral, tendo como principal realce a introdução no mercado angolano de algumas soluções inovadoras como os sistemas BETCEL, BETESPUMA, BETNIVEL, BETFORMA, CONDLOOR e CONWALL, assim como a aplicação de soluções técnicas de pavimentação e impermeabilizações. Durante o certame, o ministro da Construção e Urbanismo, Waldemar Pires Alexandre, disse que “acabámos de testemunhar a assinatura de dois contratos de investimento privado no sector da construção civil, é algo que muito nos deixa confortáveis, pelo facto de o simbolismo que rodeou este acto assentar basicamente na aposta estratégica do sector da construção na política de investimento privado actual.

São dois contratos de investimento privado que poderão propiciar 200 postos de trabalho, dos quais 170 serão para quadros nacionais e os restantes para expatriados”, realçou, o ministro Durante a sua intervenção, Waldemar Pires reforçou o compromisso na continuidade da formação, salientando que se trata de um passo no sentido de “irmos paulatinamente reduzindo a mão-de-obra de expatriados e deixar como mais-valia o resultado do engajamento do sector da construção civil dentro das políticas de diversificação da economia, aliviando o défice que pesa sobre o Orçamento Geral do Estado”.

O ministro encorajou os investidores a empenharem-se e trabalharem com a Unidade Técnica de Apoio ao Investimento Privado do Ministério da Construção e Urbanismo, no sentido de angariar mais contratos para que a actividade continue na senda do desenvolvimento preconizado, o que faz parte dos objectivos plasmados no Plano Nacional de Desenvolvimento (PND 2013/2017). Os dois contratos assinados constituem os primeiros a serem celebrados após a criação da UTAIP do Ministério da Construção, que promete continuar a firmar acordos com as empresas interessadas em investir em Angola para a criação de um bom ambiente de negócios.

Ministério da Construção assina contratos avaliados em mais de USD 9 milhões