Tânia Oliveira:   “Não queria simplesmente vender vestidos de noiva”

O buquê de flores, as alianças, o bolo de casamento, os convites, os brindes e, claro, a peça que sempre desperta a atenção de todos, o vestido de noiva: são estes são os itens que povoam o dia-a-dia de uma mulher confiante e com uma elevadíssima auto-estima.

Tânia Oliveira estreou- se no mundo dos negócios aos 27 anos quando com mais três amigos criaram em Angola a marca de jóias Loboias Joalharia. Natural de Luanda, Tânia Oliveira foi viver para Portugal quando tinha apenas dois anos de idade. A jovem conta que esta foi uma decisão tomada pelos pais e que fez com que ela vivesse 25 anos da sua vida em Portugal. Aos 15 anos, foi convidada para fazer o curso de manequim e, a partir daí, nunca mais parou. Durante muitos anos trabalhou como manequim e modelo mas, o seu maior objectivo era concluir o ensino superior, razão pela qual a mãe não a autorizou a entrar para uma agência de modelos. “Hoje, dou graças a Deus a minha mãe não ter permitido a minha ida para uma agência de modelos porque talvez eu não tivesse concluído o curso superior, as agências exigem mais responsabilidades e, consequentemente, mais tempo e dedicação aos trabalhos”.

Durante o curso, Tânia Oliveira passou a trabalhar por conta própria sempre que era convidada “como eu estudava, só podia aceitar trabalhos que não coincidissem com os horários académicos, e sempre sob supervisão da minha mãe”. Com a conclusão do curso superior aos 23 anos, Tânia acumulou o desfilar e fazer ensaios fotográficos com o trabalhar na área comercial de uma empresa com a qual colaborava enquanto modelo. Quatro anos depois, em 2007, Tânia regressou a Angola com o projecto Loboias Joalharia e, durante alguns anos, dedicou-se a gerir e a expandir a marca, conseguindo abrir três lojas.

“Era um projecto grande e ambicioso, fiquei muito satisfeita pelo espaço que a marca ocupou no mercado. Até hoje a marca ainda está no mercado e muito bem posicionada, é o que queremos quando criamos um projecto. Voltar para Angola 25 anos depois foi uma proposta irrecusável” contou. Ligada à moda desde a adolescência, Tânia Oliveira viu a oportunidade de se dedicar ao negócio do vestuário quando decidiu desligar-se das jóias e seguir sozinha. A escolha recaiu no negócio de vestidos de noiva: “Não queria vender simplesmente vestidos de noiva, queria vender um sonho”, disse a empreendedora, orgulhosa do rumo que o seu negócio tomou em apenas cinco anos. Foi por motivos pessoais que Tânia tomou a decisão de abandonar a empresa ligada à joalharia onde esteve empregada por mais de três anos: “Eu gosto de me dedicar ao trabalho com algum encanto, e acho que tenho conseguido fazer isso, a Loboia é um projecto ambicioso mas, queria poder ariscar mais”.

Quanto à nova aventura empresarial, para Tânia “o conceito Noivissima é o de trazermos para o mercado angolano um espaço com conforto e atendimento personalizado para as noivas e, há cinco anos existiam lojas que se dedicavam à venda de vestidos de noiva e nós não queríamos só isso, queríamos poder dar à noiva conforto, conselhos e até mesmo um acompanhamento directo sobre os detalhes do casamento”. Depois da criação da Noivissima, Tânia abraçou ainda outro projecto: “Em 2014 apostei na criação de uma escola de inglês, que, no momento, é um bebé e é mais um desfio que abracei e que, tal como a Novíssima, quero que daqui a mais cinco anos seja uma marca de referência ao nível do país”. A empreendedora contou também que gosta de desafios “o que me dá mais prazer é começar as coisas de raiz e dominar todos os projectos. Depois de eles já estarem em velocidade de cruzeiro e sem grandes riscos, procuro outros desafios”.

Negócio de corpo e alma

O vestido mais caro que Tânia vendeu marcou o início do negócio “na altura, a loja vendeu um vestido da estilista Micalel Oliveira no valor de sete mil dólares, foi um vestido glamoroso” lembrou. Tânia Oliveira consegue precisar a quantidade de vestidos vendidos desde a abertura da loja e garante que já vestiu mais de 100 noivas. A proprietária da loja Noivissima acredita que, embora cada noiva tenha a sua forma de ser e goste de marcar a sua diferença, actualmente as pessoas optam por vestidos já prontos: “Na Noivissima fazemos os vestidos de forma personalizada. A loja cria os vestidos à medida do cliente. Temos no mostruário várias colecções mas, por norma, é sempre a escolha do cliente que prevalece e, por vezes, é diferente daquilo que há em exposição”.

Para Tânia Oliveira “cada pessoa tem um estilo de corpo diferente e nem sempre o vestido de princesa fica bem a toda gente. Então, sugerimos sempre a consultoria de imagem para aconselhar o modelo mais indicado para o tipo de corpo”. Na loja Noivissima, o serviço de consultoria de imagem é gratuito “porque faz parte do processo comercial e de selecção para que a escolha seja assertiva”, explicou. Quanto aos preços dos vestidos da loja, estes variam conforme o tecido, a renda e o tamanho da saia. Mas, os preços começam a partir dos 150 mil kwanzas.

Perfil

História de Negócios

Quando se fala em casamentos, vem-nos à ideia uma noiva deslumbrante, elegante e confortável, foi assim que começou a conversa com Tânia Oliveira que, durante 40 minutos, nos falou sobre a sua entrada nos negócios e o seu envolvimento no mundo da moda. Formada em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia do Trabalho e modelo desde os 15 anos, Tânia Oliveira é, proprietária da famosa loja de noivas denominada Noivissima e da conhecida escola de inglês London English School. Antes de criar a Noivissima, foi sócia da conhecida loja de jóias Loboia Joalharia.

Mais informação encontre no jornal imprenso já nas bancas!

Tânia Oliveira: “Não queria simplesmente vender vestidos de noiva”